últimos pedidos

  •  
    Saif, United Arab Emirates
  •  
    Maria, Austria
  •  
    nena, Belgium
  •  
    Σπύρος , Cyprus
  •  
    Kai, Germany
  •  
    Natalie, Germany
  •  
    Astrid, Germany
  •  
    Bernd, Germany
  •  
    Arne, Germany
  •  
    Burkhard, Germany
  •  
    Jeremy, Germany
  •  
    José, Spain
  •  
    José Manuel, Spain
  •  
    Jan, Finland
  •  
    Jan, France
  •  
    Ren, United Kingdom
  •  
    Costas , Greece
  •  
    Damir, Croatia
  •  
    Nensi, Croatia
  •  
    Alissa, Mexico
  •  
    Indira, Netherlands
  •  
    Jan, Netherlands
  •  
    Sven, New Zealand
  •  
    henry, French Polynesia
  •  
    João , Portugal
  •  
    Claudia, Portugal
  •  
    Nenad, Serbia
  •  
    Andrijana, Serbia
  •  
    Jonas, Sweden
  •  
    Dalton, United States

Os mais vendidos

Existem 1450 produtos.

Mostrando 1-15 de um total de 1450 artigo(s)
Sementes de Baunilha Bourbon (Vanilla planifolia)

Sementes de Baunilha...

Preço 3,50 € (SKU: MHS 104)
,
5/ 5
<!DOCTYPE html> <html> <head> <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" /> </head> <body> <h2><span style="font-size: 14pt;"><strong>Sementes de Baunilha Bourbon (Vanilla planifolia)</strong></span></h2> <h2><span style="color: #f40606; font-size: 14pt;"><strong>Preço para o pacote de 50 ou 100 sementes.</strong></span></h2> <p><span>Baunilha (do castelhano vainilla, pequena vagem) é uma especiaria usada como aromatizante, obtida de orquídeas do género Vanilla, nativas do México. Originalmente cultivada pelos povos mesoamericanos pré-colombianos, parece ter sido levada para a Europa juntamente com o chocolate na década de 1520, pelo conquistador espanhol Hernán Cortés.</span></p> <p><span>Tentativas de cultivo da planta da baunilha fora do México e América Central, mostraram-se infrutíferas devido à relação simbiótica entre a trepadeira tlilxochitl[3] e a espécie local de Melipona; apenas em 1837 o botânico belga Charles Morren descobriu esta relação e desenvolveu um método para polinizar artificialmente a planta, o qual se revelou economicamente inviável, não tendo sido aplicado comercialmente.[4] Em 1841, um escravo ao serviço de franceses com 12 anos de idade, de nome Edmond Albius, que vivia na ilha Bourbon, descobriu que a planta podia ser polinizada a mão, o que viria a permitir o cultivo global da planta.</span></p> <p><span>Hoje em dia, existem três cultivares principais de baunilha de produção global, todos obtidos de uma espécie encontrada na Mesoamérica.[6] As várias subespécies são Vanilla planifolia (sin. V. fragrans), cultivada em Madagáscar, Reunião e outras áreas tropicais do Oceano Índico; V. tahitensis, cultivada no Pacífico Sul; e V. pompona, encontrada nas Índias Ocidentais, América Central e do Sul[7] A maior parte da baunilha produzida no mundo é da variedade V. planifolia, conhecida como baunilha "Madagáscar-Bourbon", produzida numa pequena região de Madagáscar e na Indonésia.</span></p> <p><span>A baunilha é a segunda especiaria mais cara, a seguir ao açafrão,[10][11] devido à mão-de-obra necessária na produção das vagens.[11] Apesar do custo, é muito apreciada pelo seu flavor, que o autor Frederic Rosengarten, Jr. descreveu em The Book of Spices como "puro, apimentado, e delicado" e pelo seu aroma floral complexo descrito com um "bouquet peculiar".[12] É usada em bolos e sobremesas, perfumes, e na aromaterapia.</span></p> <p><span>Etimologicamente, a palavra deriva de vainilla diminutivo de vaina ou seja bainha em língua espanhola. A palavra vaina vem da palavra latina vagina.</span></p> <p><span>Na maioria das línguas, a baunilha é designada por termos foneticamente muito semelhantes: vanilla em inglês, wanilia em polonês, vanilje em sueco.</span></p> <p><strong><span>Descrição botânica</span></strong></p> <p><span>Flexível e pouco ramificada, a liana da baunilha, também chamada «baunilheira», desenvolve-se por crescimento do gomo terminal, formando longos talos que podem lançar-se em busca de suporte por mais de dez metros. Se o caule se partir, os pedaços que caem no solo criam raízes facilmente, o que permite a propagação da planta, quer na natureza quer em cultivo.</span></p> <p><span>As folhas dispõem-se de maneira alternada de cada lado do caule. São planas, inteiras, ovais com ponta aguçada, cerca de três vezes mais compridas que largas e podem medir até 15 cm. O caule e as folhas são verdes, profusamente cobertos de um suco transparente e irritante que provoca na pele queimaduras e irritação persistentes.[14] Na zona da bainha das folhas, surgem muitas vezes raízes aéreas que permitem à planta agarrar-se ao seu suporte ou a uma estaca ganhar raízes.</span></p> <p><span>As flores, agrupadas em oito ou dez, formam pequenos racemos de inflorescências axilares. De cor branca, esverdeada ou amarelada, possuem a estrutura clássica de uma flor de orquídea.</span></p> <p><span>A fecundação natural requer a intervenção de insetos especializados, apenas presentes nas florestas densas donde a baunilha é originária na América Central. Os responsáveis seriam as abelhas especializadas em orquídeas, as Euglossini, em particular a espécie Euglossa viridissima e talvez também Eulaema cingulata. As Melipona, sobretudo Melipona beechii, antes consideradas as fecundadoras da baunilha, parecem ser atualmente descartadas pelos entomólogos.[15] Depois da fecundação, o ovário que fazia de pedúnculo na base da flor, transforma-se numa vagem pendente com 12 a 25 cm de comprimento. As vagens frescas e ainda inodoras, têm de diâmetro entre 7 a 10 mm, contendo milhares de grãos minúsculos que seriam libertados pela abertura dos frutos maduros se não se procedesse à sua recolha ainda verdes.</span></p> <p><strong><span>Distribuição e cultivares</span></strong></p> <p><span>A baunilha vive no sub-bosque das florestas tropicais húmidas. Já era reproduzida por estaquia bem antes da chegada dos conquistadores espanhóis ao México. Além disso, a quase totalidade dos pés conhecidos, mesmo os que crescem livremente na floresta, são clones provenientes de explorações atuais ou abandonadas.</span></p> <p><span>A área natural original da baunilha é bastante mal conhecida. Estender-se-ia por uma região que cobria partes do sul do México, Guatemala, Belize e Honduras, mas ter-se-á tornado raríssima no estado verdadeiramente selvagem. Apenas uma trintena de pés bastante dispersos são atualmente identificados como tal.</span></p> <p><span>A baunilha é sobretudo conhecida como planta cultivada para produção duma especiaria. Foi a história desta especiaria que contribuiu para a difusão desta cultura e à instalação da planta na maioria das regiões tropicais húmidas do mundo.</span></p> <p><strong><span>Cultivares</span></strong></p> <p><span>São quatro os cultivares de Vanilla utilizados para cultivo, listados segundo as correspondente designações do produto comercial:</span></p> <p><strong><span>Baunilha Bourbon ou baunilha Bourbon-Madagascar</span></strong><span>, produzida a partir de plantas de V. planifolia levadas das Américas, é o termo usado para a baunilha das ilhas do Oceano Índico, como Madagáscar, Comores, e Reunião, antigamente chamada Île Bourbon.</span></p> <p><strong><span>Baunilha mexicana</span></strong><span>, produzida a partir de V. planifolia nativa, é produzida em muito menor quantidade e comercializada como a baunilha original.</span></p> <p><strong><span>Baunilha de Taiti</span></strong><span> é produzida na Polinésia Francesa, a partir de V. tahitiensis. Análises genéticas mostram que esta espécie é provavelmente um cultivar híbrido resultante do cruzamento entre V. planifolia e V. odorata. Esta espécie terá sido introduzida na Polinésia Francesa por François Alphonse Hamelin a partir das Filipinas, onde havia sido introduzida desde a Guatemala através da rota do Galeão de Manila.</span></p> <p><strong><span>Baunilha da Índias Ocidentais</span></strong><span> é feita a partir de V. pompona cultivada no Caribe , América Central e do Sul.</span></p> <p><strong><span>Química e perfil aromático</span></strong></p> <p><span>Embora existam muitos compostos presentes nos extratos de baunilha, a vanilina (4-hidroxi-3-metoxibenzaldeído) é a principal responsável pelo flavor e aroma característicos da baunilha. Outro componente menor do óleo essencial da baunilha é o piperonal. O piperonal e outras substâncias afetam o odor da baunilha natural. A vanilina foi isolada pela primeira vez a partir de vagens de baunilha por Gobley em 1858.[19] Em de 1874, foi obtida a partir dos glicosídeos da seiva do pinheiro, causando uma depressão temporária na indústria da baunilha natural.</span></p> <p><span>O perfil aromático depende das condições de cultivo e de preparação mas também das variedades ou espécies utilizadas. A baunilha das Índias Ocidentais e a baunilha do Taiti têm teores em vanilina relativamente baixos. A baunilha das Índias Ocidentais tem um forte odor de cumarina. Quanto à baunilha do Taiti, rica em diversos compoostos, beneficia duma reputação de qualidade superior à da baunilha mexicana.[20].</span></p> <p><span>A essência de baunilha é comercializada sob duas formas. O verdadeiro extrato de vagens é uma mistura extremamente complexa de várias centenas de compostos distintos. A essência sintética, consistindo basicamente numa solução de vanilina sintética em etanol, é derivada do fenol e é de alta pureza.</span></p> <p><strong><em><span>História</span></em></strong></p> <p><strong><span>A «flor negra» dos astecas</span></strong></p> <p><span>A história da baunilha está associada à do chocolate. Os astecas,[22] e já antes os maias, decoravam com baunilha uma bebida espessa à base de cacau. Os astecas designavam tal bebida, destinada aos nobres e aos guerreiros, xocoatl.[23] Porém, os astecas não cultivam nem a baunilha nem o cacau, devido ao clima impróprio. Tais produtos de luxo provinham do comércio com as regiões vizinhas. Provavelmente não dispunham do conhecimento agronómico da planta que produzia a baunilha, pois chamavam-lhe tlilxochitl, que significa «flor negra»,[24] embora fosse mais lógico que a chamassem «fruto negro».</span></p> <p><span>São os totonacas, ocupantes das regiões costeiras do golfo do México, próximo da atuais cidades de Veracruz e Papantla, quem produzia a baunilha e a fornecia aos astecas. Segundo a lenda, a liana da baunilha nasceu do sangue da princesa Tzacopontziza («Estrela da Manhã»), no lugar onde o seu raptor, o príncipe Zkatan-Oxga («Veado Jovem»), e ela mesma foram apanhados e decapitados pelos sacerdotes de Tonoacayohua, a deusa das colheitas. O príncipe reencarna num vigoroso arbusto e a princesa torna-se a delicada liana de orquídea ternamente enlaçada ao seu amante.[25] Os totonacas chamavam e chamam ainda hoje à baunilha caxixanath, a «flor escondida», ou de modo abreviado xanat.</span></p> <p><span>Os espanhóis descobrem a baunilha no início do século XVI por ocasião da conquista da América Central. Não há nada que permita concluir que esta especiaria tenha sido conhecida na passagem pela América Central das várias expedições continentais iniciais, como as de Ojeda e de Nicuesa em 1509 ou de Núñez de Balboa ao Panamá em 1513, pois não foi até hoje encontrado qualquer relato sobre este assunto. Por outro lado, tudo leva a crer que o conhecimento decisivo da baunilha está efetivamente ligado à chegada dos espanhois a Tenochtitlan, e ao encontro de Hernán Cortés com o tlatoani Moctezuma II, descrevendo Sahagún os costumes e em particular o uso da baunilha para aromatizar o chocolate.[27] A primeira referência escrita à baunilha que se conhece, bem como a primeira ilustração, constam do Códice Florentino, escrito pelos astecas Martín de la Cruz e Juan Badiano em 1552.[28] Esta mesma referência constitui igualmente a primeira a uma orquídea do Novo Mundo.</span></p> <p><strong><span>O monopólio mexicano</span></strong></p> <p><span>A partir do século XVII o comércio internacional começa a ganhar amplitude. A baunilha é apresentada à rainha Isabel I de Inglaterra pelo seu farmacêutico, Hugh Morgan. Este faz chegar uma amostra a Charles de l'Écluse que em 1605 publica pela primeira vez na Europa uma descrição naturalista da vagem à qual chama Lobus oblongus aromaticus,[29] ou «concha aromática alongada».</span></p> <p><span>Durante mais de dois séculos (XVII e XVIII), o México, em particular a região de Veracruz, conserva o monopólio da baunilha.</span></p> <p><span>Todas as tentativas de produzir esta orquídea fora da sua área natural de origem saldam-se em fracassos. Apenas no século XIX se saberia que as abelhas indígenas tinham um papel fecundador indispensável à formação do fruto.</span></p> <p><span>A baunilha suscita uma verdadeira paixão na Europa, sendo cada vez mais apreciada na corte da França. Luís XIV tenta introduzi-la na ilha da Reunião, mas todas as tentativas feitas durante o seu reinado falham.</span></p> <p><strong><span>Descoberta em Reunião</span></strong></p> <p><span>A primeira polinização artificial da baunilheira é feita em 1836 no Jardim Botânico de Liège pelo naturalista belga Charles Morren, e em 1837 pelo francês Joseph Henri François Neumann.</span></p> <p><span>Mas é apenas em 1841 que um jovem escravo de Reunião, com doze anos de idade, Edmond Albius, cria o processo prático ainda hoje utilizado.[30] Este método de polinização, de cuja paternidade Jean Michel Claude Richard tenta apropriar-se, faz da ilha da Reunião, o primeiro centro baunilheiro do planeta apenas decorridos alguns decénios após a introdução da orquídea em 1819. Com a abolição da escravatura em 1848, é dado ao jovem Edmond o patronímico Albius, com referência à cor branca (alba) da flor da baunilha.</span></p> <p><strong><span>A ascensão malgaxe</span></strong></p> <p><span>São os produtores da ilha da Reunião que introduzem a cultura da baunilha em Madagáscar cerca de 1880. As primeiras plantações são feitas na ilha Nosy Be. Dali, expandem-se para as regiões orientais da grande ilha, como Antalaha e Sambava, com clima húmido favorável. O crescimento é rápido e a produção malgaxe ultrapassaria as 1 000 toneladas em 1929, mais de dez vezes a produção na Reunião. Contudo, o mercado carece de regulação, e a baunilha conhece crises cíclicas de sobre-produção.</span></p> <p><span>Mau grado a concorrência de outros países tropicais como a Indonésia e a emergência de novas dinâmicas de conquista de mercado como no estado indiano de Kerala, Madgáscar conserva ainda hoje o primeiro lugar como exportador mundial, produzindo cerca de 60% da baunilha no mundo.</span></p> </body> </html>
MHS 104
Sementes de Baunilha Bourbon (Vanilla planifolia)

Variedade do Peru

Esta planta tem frutos gigantes
Sementes de milho Gigante...

Sementes de milho Gigante...

Preço 2,25 € (SKU: P 40)
,
5/ 5
<!DOCTYPE html> <html> <head> <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" /> </head> <body> <h2><strong>Sementes Milho Gigante de Cuzco</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;"><strong>P<strong>reço para o pacote de 5 ou 10 sementes. <br /></strong></strong></span></h2> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Nativo do Peru e do Equador Milho Gigante Peruano - também conhecido como Choclo, é uma variedade horrivelmente grande de milho.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Os talos atingem até 5 a 5,50 metros de altura.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Em variedades padrão de milho, o peso médio varia de 25 a 35 gramas por 100 grãos. No milho gigante peruano, o peso por 100 grãos é de 90 a 95 gramas por 100 grãos - quase 3 vezes o tamanho e o rendimento.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">É um milho de maturação tardia e estima-se que precise de 120 a 150 dias para amadurecer.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Alguém poderia pensar que ser indígena nos Andes montanhosos seria adaptado para condições de vento, mas este não é o caso. Eles evoluíram no vale e na vizinhança do Peru Urrabamba, que é abrigado e tem clima relativamente ameno.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Milho Gigante Peruano, também conhecido como Choclo</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">As plantas produzem numerosas espigas de milho relativamente curtas com grãos gigantescos.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">O sabor é comparável ao milho doce padrão. Não é excessivamente doce - suave para suavemente doce com uma textura cremosa seria a melhor descrição. Os peruanos costumam cozinhá-los. No Equador e na Bolívia, eles os secam primeiro e depois os "estouram" em óleo - um pouco como a pipoca. Nós, gringos, podemos apreciá-los como qualquer outro milho.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Milho Deve ser plantado em blocos, ao contrário das linhas, e não deve ser plantado perto de outras variedades de milho. A polinização cruzada tende a produzir milho com amido de sabor ruim. Sugar Pearl, como por alguns fornecedores não precisa ser isolado como outras variedades fazem - isso é bom para o Sugar Pearl, mas não necessariamente a outra variedade.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Milho Gigante peruano pode ser semeado diretamente no solo, ou também pode ser iniciado dentro de casa e depois transplantado. Se começar dentro de casa, certifique-se de ter um recipiente maior do que o padrão, pois ele pode facilmente superar o recipiente antes do tempo de transplante. Seja qual você escolher, plante-a em blocos, com pelo menos quatro linhas de largura, para polinização adequada e orelhas bem cheias</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Profundidade de sementeira: 5 cm</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Germinação: 6 a 8 dias</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Maturidade: em 120 - 150 dias.</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Cor: Branco - Amarelo Pálido</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Espaçamento de sementes: 30 a 35 cm de distância.</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Espaçamento entre fileiras: 100 cm</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Tamanho da planta: 400 - 550 cm</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Espiga de milho Tamanho: 17-20 cm Long</span><br /><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Sol Completo</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">O milho tem raízes superficiais e usa muito nitrogênio e oligoelementos. Para ajudar a sua colheita a começar da melhor maneira possível, prepare o solo primeiro com um fertilizante rico em nitrogênio. O estrume bem podre ou composto também é útil.</span></p> <p><span style="font-size: 14pt; font-family: georgia, palatino, serif; color: #000000;">Plantar no lado norte do jardim como hastes de milho irá negar a luz solar para o resto de suas culturas de jardim, você também pode querer crescer alguns, onde ele irá fornecer sombra às plantas que não podem tolerar a luz solar completa.</span></p> <h2><a href="https://www.seeds-gallery.shop/pt/inicio/sementes-de-milho-gigante-peruano-sacsa-kuski.html" target="_blank" rel="noreferrer noopener"><strong>Sementes de milho gigante peruano Sacsa Kuski</strong>, você pode comprar AQUI</a></h2> </body> </html>
P 40 5S NS
Sementes de milho Gigante de Cuzco - Cusco
Sementes de Bambu Gigante Madake (Phyllostachys bambusoides)  - 3

Sementes de Bambu Gigante...

Preço 1,95 € (SKU: B 6)
,
5/ 5
<!DOCTYPE html> <html> <head> <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" /> </head> <body> <h2><span style="font-size: 14pt;"><strong>Sementes de Bambu Gigante Madake (Phyllostachys bambusoides)</strong></span></h2> <h2><span style="color: #ff0000; font-size: 14pt;"><strong>Preço para o pacote de 5 sementes.</strong></span></h2> <p>Phyllostachys bambusoides, commonly called madake, giant timber bamboo or Japanese timber bamboo, is a bamboo species in the genus Phyllostachys.</p> <p>Madake is typically known for being the most common type of bamboo used in the making of shakuhachi flutes, and is utilized in numerous Japanese, as well as Chinese, arts and crafts.</p> <p>Phyllostachys bambusoides can reach a height of 15–22 m and a diameter of 10–15 cm. The culms are dark green, quite thick and very straight. Leaves are dark green. New stalks emerge in late spring and grow quite rapidly, up to 1 meter each day. The flowering interval of this species is very long, about 120 years. This strong plant is in Asia one of the preferred bamboo for building and in the manufacture of furniture.</p> <p>This species is native to China, but it is commonly grown worldwide, especially in Japan.</p> </body> </html>
B 6
Sementes de Bambu Gigante Madake (Phyllostachys bambusoides)  - 3
Sementes de limão-taiti ou limão-tahiti  - 3

Sementes de limão-taiti...

Preço 1,95 € (SKU: V 119)
,
5/ 5
<!DOCTYPE html> <html> <head> <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" /> </head> <body> <h2><strong>Sementes de limão-taiti ou limão-tahiti (Citrus × latifolia)</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;"><strong>Preço para o pacote de 2 sementes.</strong></span></h2> <p>A Citrus × latifolia é uma espécie de fruta cítrica, conhecida no Brasil sob o nome comum de limão-taiti ou limão-tahiti 1 2 , classificada dentro das limas ácidas 1 . O fruto dessa espécie é maior e um pouco menos ácido do que a espécie vizinha Citrus aurantiifolia, e tem menos sementes, um sabor menos intenso e uma casca mais espessa. A polpa é levemente esverdeada e o suco é ácido.</p> <p>O limão-taiti é usada como tempero e em bebidas, por exemplo na caipirinha.</p> </body> </html>
V 119
Sementes de limão-taiti ou limão-tahiti  - 3
Sementes de Bambu Amarelo (Phyllostachys aurea) 1.95 - 10

Sementes de Bambu Amarelo...

Preço 1,95 € (SKU: B 7)
,
5/ 5
<h2><span style="font-size: 14pt;" class=""><strong>Sementes de Bambu Amarelo (Phyllostachys aurea)</strong></span></h2> <h2><span style="color: #d0121a; font-size: 14pt;"><strong>5&nbsp;Sementes em pacote.</strong></span></h2> <p>Utilizado na construção de barracas de festa junina, na construção de viveiros, varetas de pipas, laminados, construção de móveis ou mesmo como suporte para cultivo de hortaliças, frutas e flores, o bambu acaba de ganhar uma lei de incentivo[4], que institui a Política Nacional de Incentivo ao Manejo Sustentado e ao Cultivo do Bambu (PNMCB).</p> <p>Planta nobre, sagrada, de grande respeito em todo planeta. Na sua história é símbolo da multiplicação e generosidade.</p> <p>Admirada, honrada em todas as nações que a conhece. No japão ela representa “BUDA”; os chineses acreditam que o seu oco é um compartimento de pureza e morada dos deuses. Monteiro Lobato nos disse que é a morada do gnono Saci.</p> <p>Pesquisas nos mostram que é tão durável e resistente quanto o concreto, madeira, e em relação à tração é comparada ao aço.</p> <p>O bambu é uma planta que não perde as folhas no outono e desenvolve novas folhas na primavera. Elas são substituídas imediatamente por novas folhas no começo da primavera.</p> <p>Se apresenta como uma fonte de biomassa energética com grande potencial, uma vez que o seu crescimento é bastante acelerado, com brotação anual espontânea e pode ser cortado aos 3 anos de idade.</p> <p>Nome científico: Phyllostachys aurea</p> <p>Classificação: Espécie</p><script src="//cdn.public.n1ed.com/G3OMDFLT/widgets.js"></script>
B 7
Sementes de Bambu Amarelo (Phyllostachys aurea) 1.95 - 10
Sementes de Cacau - Cacaueiro

Sementes de Cacau - Cacaueiro

Preço 4,00 € (SKU: V 86)
,
5/ 5
<!DOCTYPE html> <html> <head> <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" /> </head> <body> <h2><strong>Sementes de Cacau - Cacaueiro (Theobroma cacao)</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;"><strong>Preço para o pacote de 2 sementes.<br /></strong></span></h2> <p><strong>Como você pode ver em nossas fotos, nossa variedade de cacau é maior que todas as outras.</strong></p> <div>O cacaueiro (Theobroma cacao) é a árvore que dá origem ao fruto chamado cacau. É da família Malvaceae e sua origem é América Central e Brasil. Pode atingir até 6 metros de altura e possui duas fases de produção: temporão (março a agosto) e safra (setembro a fevereiro). O cacau é a principal matéria-prima do chocolate.</div> <div>Importância econômica</div> <div>É do cacau que se faz o chocolate através da moagem das suas amêndoas secas em processo industrial ou caseiro. Outros subprodutos do cacau incluem sua polpa, suco, geleia, destilados finos e sorvete.</div> <div>O termo "Cacau", já foi sinônimo de prosperidade "Capital" e Investimento, no Brasil de aproximadamente 1808, quando a Família Imperial Portuguesa, com o reinado de Maria I veio para o Brasil e começou sua exploração científica - industrial da época, para exportação e financiar o chamado "Baluarte Brasileiro, contra Napoleão Bonaparte, até aproximadamente 1930. Nessa data, quando apareceu uma praga chamada de "Vassoura de Bruxa", que descapitalizou à chamada "indústria do Cacau" Brasileira. Muitas pesquisas se fizeram para debelar a tal de "Vassoura", até que a denominada atualmente de "Embrapa"(uma empresa que teve seus primórdios naquela data por iniciativa de Getúlio Vargas), na cidade do Rio de Janeiro apresentou seus resultados positivos, que desenvolvem à Indústria do Chocolate do Brasil com diversas plantações de Cacau modificados através de Enxertias e Fábricas de Chocolates por todo o Brasil. Mas tudo isso tem um preço, segundo os antigos, a chamada "Nobreza Brasileira", antigos proprietários de plantações de antes de 1930, informam que tem saudades daquele tempo, em Ilhéus, um dos principais produtores de antes de 1930. Pois dizem esses "representantes da Nobreza Brasileira" que o Chocolate, a planta, antes da ação da atual Embrapa, tinha um sabor aPimentado. Alguns restaurantes da Bahia e do Brasil, como no Rio Grande do Sul, costumam acrescentar Pimenta aos produtos de Chocolates. É uma tradição antiga e dizem que as primeiras mudas do México tinham esse sabor, APimentado.</div> <div>História</div> <div>O cacau é originário das regiões tropicais da América Central.</div> <div>O cacau era considerado pela civilização maia por ser uma fruta apimentada, que deveria ser comida com "parcimônia e elegância", devido à Pimenta, de seu sabor; e era dada para isso, diretamente pelos deuses aos homens, geralmente era consumida antes se Cristóvão Colombo, apenas pelos Sacerdotes da e para a Entidade Sol. E, de tão importante, virou até moeda de troca o "Cacau" ou "Solaris(outro nome da mesma Moeda). Nessa época, no Brasil, primeiramente e depois com a exportação, a partir de 1808, para toda a América Latina, pois Maria I de Portugal, Brasil e Além-Mar aceirava essa "Quase - moeda", o "Cacau" e/ou "Solaris(Casa do Sol), como Crédito. Não se fazia do cacau o que conhecemos hoje como Chocolate. Era feita uma bebida de sabor amargo - aPimentado, com as sementes torradas e moídas misturadas com água, semelhante ao preparo do Cafézinho, da forma de Colombo(Cristóvão Colombo), que muitas vezes acrescentava o Café à bebida APimentada sagrada dos Méxicoanos. Atualmente, segundo estudiosos é que se acrescenta a pimenta, para voltar ao sabor de antigamente.</div> <div>Atualmente, enquanto o chocolate movimenta globalmente uma economia de 60 bilhões de dólares/ano, os produtores de cacau ficam apenas com 3,3% da renda gerada.</div> <div>No Brasil, ele foi cultivado primeiramente na Amazônia, onde já existia em estado natural, próximo ao clima do México, devido ao Rio Amazonas. Depois, pelo Rio Amazonas, passou para o Pará e pelo Mar, chegou finalmente à Bahia, onde melhor se adaptou ao solo e ao ambiente Marinho, e causou o chamado "Boom" da época de 1930.</div> <div>O Estado da Bahia produz atualmente cerca de 95% do cacau do Brasil (país cuja produção corresponde a mais ou menos 5% da mundial, sendo a Costa do Marfim o maior produtor do planeta, com aproximadamente 40% do total).</div> <div>Reprodução e cultivo</div> <div>O cacaueiro é uma planta de clima quente e úmido que prefere o solo argilo-arenoso. Sua propagação se dá por sementes (seminal/sexuada) e vegetativa (assexuada). Por ser uma planta umbrófila, vegeta bem em sub-bosques e matas raleadas sendo, portanto, uma cultura extremamente conservacionista de solos, fauna e flora. Pouco mecanizada, é uma cultura que proporciona um alto grau de geração de emprego. Encontrou no sul da Bahia um dos melhores solos e clima para a sua expansão.</div> <div>Produção de cacau no Brasil</div> <div>O Estado da Bahia é o maior produtor do Brasil, porém sua capacidade produtiva foi reduzida em até 60% com o advento da vassoura-de-bruxa, causada pelo fungo fitopatogênico Crinipellis perniciosa, atualmente Moniliophthora perniciosa. O Brasil, então, passou do patamar de país exportador de cacau para importador, não sendo completamente autossuficiente do produto.</div> <div>Apesar da enfermidade, o cacau ainda se constitui numa grande alternativa econômica para o Sul da Bahia e possui na CEPLAC (Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira) a sua base de pesquisa, educação e extensão rural. Com o apoio do órgão, cultivares clonais mais resistentes ao fungo têm sido introduzidas, porém formas mais severas de controle do patógeno ainda precisam ser descobertas. Esas formas podem vir futuramente com os resultados do Projeto Genoma Vassoura de Bruxa, que visa a estudar o genoma do fungo e elaborar estratégias mais eficientes no seu controle biológico. É uma iniciativa da CEPLAC que conta com o apoio da EMBRAPA e de laboratórios de universidades da Bahia (UFBA, UESC e UEFS) e de São Paulo (UNICAMP).</div> <div>Importância ecológica</div> <div>Por ser plantado à sombra da floresta, o cacau foi responsável pela preservação de grandes corredores de mata atlântica no sul do Estado da Bahia no Brasil. Este sistema é conhecido como "cacau cabruca", do termo "brocar" (ralear). Recentemente, foi criado o Instituto Cabruca que, junto com outras instituições ambientalistas, vem desenvolvendo projetos de pesquisas e extensão sobre o tema, estudando formas de manter essa vegetação nativa associada ao cacau.</div> <div>Origem do nome</div> <div>A civilização Maia e Méxicoano, de mesma raiz, possuía dois vocábulos (kab e kaj) que, numa mesma palavra, formavam a expressão suco amargo picante(kabkaj) um sabor bastante APimentado. Segundo Historiadores e desenvolvedores da Geografia como o foi Américo Vespúcio, do Novo Continente, o nome atual foi praticamente dado por Cristóvão Colombo, apreciador do Chocolate com gosto Apimentado, e foi um dos primeiros a levar o conhecimento ao Velho Mundo, espalhando a planta, por onde andava. Assim, a bebida originada deste suco era nomeada de kabkajatl(segundo Cristóvão Colombo, onde as três últimas letras desta palavra significavam "líquido". Os espanhóis colonizadores tinham dificuldades de pronunciar a palavra e sempre colocavam um hu nas palavras dos índios Méxicoanos. Desta maneira, a palavra acabou transformando-se em kabkajuatl e, futuramente, pela ação popular, em cacauatl.</div> <div>A cacauatl foi modificada pelos espanhóis, passando a ser tomada quente e com leite e açúcar, basicamente, uma vez que se juntou muitos outros produtos para retirar o gosto aPimentado, que nem sempre é apreciado pelo consumidor comum. Recebeu, então, um novo nome: chacauhaa (chacau = quente; haa = bebida). Depois, houve confusão entre as palavras, das bebidas quente e fria, dando origem a palavra chocolate.</div> <div>Trabalho escravo</div> <p>A Costa do Marfim é o maior produtor de cacau do mundo, chegando a contribuir com 41% do mercado global. Em suas plantações ocorre uso de mão de obra escrava e infantil, mais modernamente, uma vez que antigamente (1808 - 1930), na época da riqueza e do "Cacau", era toda assalariada e Consumidora do Produto que plantavam, seus Propagandadistas, segundo Dona Maria I de Brasil, Portugal e Além - Mar. As grandes companhias produtoras de chocolate chegaram a assinar em 2001 um termo onde se comprometiam a exitinguir o uso deste tipo de mão de obra nos cacauzeiros até 2008. No entanto o prazo não foi cumprido, e segundo denúncias em 2010 ainda eram utilizados em larga escala.[4] Autoridades locais e organizações internacionais tem dedicado atenção ao tema desde então.</p> <table style="width: 442px;" border="1" cellspacing="0" cellpadding="0"> <tbody> <tr> <td colspan="2" valign="top" width="100%"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>growing instructions</strong></span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Vermehrung:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">Seeds</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Pretreatment:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">soak seeds for 2-3 hours in warm water.</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Stratification:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">0</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Sowing Time:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">all year</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Sowing depth:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">See picture 6</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Sowing substrate:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">Use high-quality, sterile potting soil</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Sowing temperature:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">+25 - +28°C</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Sowing Location:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">bright + keep constantly moist, not wet</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Germination time:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">2-4 weeks.</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Note:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">direct Sow onto bed in May.</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color: #008000;"><strong>Watering:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color: #008000;">Water regularly during the growing period</span></p> </td> </tr> <tr> <td valign="top" nowrap="nowrap"> </td> <td valign="top"> <p align="center"><br /><span style="color: #008000;"> <em>Copyright © 2012 Seeds Gallery - Saatgut Galerie - Galerija semena. </em><em>All Rights Reserved.</em></span></p> </td> </tr> </tbody> </table> </body> </html>
V 86
Sementes de Cacau - Cacaueiro
Sementes de Mirtilo Gigante "DUKE" (Vaccinium corymbosum)

Sementes de Mirtilo Gigante...

Preço 1,95 € (SKU: V 194 D)
,
5/ 5
<!DOCTYPE html> <html> <head> <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" /> </head> <body> <h2><strong>Sementes de Mirtilo Gigante DUKE (Vaccinium corymbosum)</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;"><strong>Preço por pacote de 50 (0,015g) sementes.</strong></span></h2> <p>Outros nomes comuns: Mirtilo, Mirtilo Gigante, Mirtilo Gigante Americano.</p> <p>Os mirtilos Duke são a principal variedade de mirtilos com maturação precoce (as frutas começam a amadurecer no início de junho). É conhecida por seus altos rendimentos (uma planta da Duke pode produzir mais de 9 kg (20 lbs) de frutas de qualidade e tamanho uniforme. O sabor suave da Duke parece melhorar com o armazenamento a frio.</p> <p>Manter o vigor da planta dos mirtilos Duke pode ser um desafio por um longo período de tempo. Os produtores devem escolher um local de crescimento de qualidade e empregar continuamente boas práticas culturais.</p> <p>O mirtilo Duke é um dos principais candidatos para colheita mecânica, vendas frescas e de processos.</p> </body> </html>
V 194 D
Sementes de Mirtilo Gigante "DUKE" (Vaccinium corymbosum)

Esta planta tem frutos gigantes
Sementes de Morango Gigante

Sementes de Morango Gigante

Preço 2,85 € (SKU: V 1 GS)
,
5/ 5
<h2><strong>Sementes de Morango Gigante</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;" class=""><strong>Preço para o pacote de 100 (0.06g) sementes.</strong></span></h2> <p>Morangos gigantes, Fragaria ananassa L. Makimus, são muito fáceis de cultivar! É perene, resistente ao inverno e prospera bem em pleno sol, desde que o solo seja fértil e bem drenado. Plantas saudáveis produzirão muitas frutas por anos! Os morangos são grandes (150 g) como maçãs! Este tipo de morango "gigante" padrão oferece a maior colheita!</p> <p>Os morangos precisam de luz para germinar e suas sementes não devem ser cobertas pelo substrato. Mas a prática mostrou que as sementes de morango descobertas secam muito rapidamente durante a germinação. Portanto, recomenda-se cobrir as sementes muito levemente com um substrato de sementeira peneirado. Você pode colocar uma semente ou nylon transparente na semente semeada e, assim, manter a umidade necessária para fazer a semente brotar.</p> <h3><span style="color: #008000;"><strong>Rápido guia de cultivo</strong></span><br><span style="color: #008000;"><strong>Germinação</strong>: </span></h3> <p><span style="color: #008000;"> - Primeiro faça uma estratificação a frio: mantenha as sementes na geladeira ou freezer por 30 a 60 dias (envoltas em papel toalha úmido, dentro de saco plástico transparente como por ex. ziplock),</span></p> <p><span style="color: #008000;">&nbsp; - Semeie a aproximadamente 1mm de profundidade,</span></p> <p><span style="color: #008000;">&nbsp; - Mantenha úmido e em temperatura entre 20 e 28˚C. </span></p> <h3><span style="color: #008000;"><strong>Solo, local e informações de cultivo</strong>:</span></h3> <ul> <li><span style="color: #008000;">Humidade: média-alta.</span></li> <li><span style="color: #008000;">Temperatura: 10-30˚C (clima tropical&nbsp; e subtropical). Resistente ao frio</span></li> <li><span style="color: #008000;">Luz: sol direto.</span></li> <li><span style="color: #008000;">Solo: qualquer solo que retenha água, seja bem drenado e tenha boa fertilidade é suficiente.</span></li> <li><span style="color: #008000;">pH do solo:</span></li> <li><span style="color: #008000;">Irrigação: irrigue regularmente.</span></li> <li><span style="color: #008000;"><span style="color: #008000;">Para ser plantada em vasos e exteriores.</span></span> <div></div> </li> </ul><script src="//cdn.public.n1ed.com/G3OMDFLT/widgets.js"></script>
V 1 GS (0,06G)
Sementes de Morango Gigante

Esta planta é resistente ao inverno e geada. Veja mais na descrição.

Variedade do Japão
Sementes de Yuzu -20 ° C (Citrus junos) 4.15 - 1

Sementes de Yuzu -20 ° C...

Preço 4,15 € (SKU: V 118 Y)
,
5/ 5
<h2><strong>Sementes de Yuzu -20 ° C (Citrus junos)</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;"><strong>Preço para o pacote de 2 ou 4 sementes.</strong></span></h2> <p>Yuzu (ユズ?) (Citrus ichangensis × C. reticulata, antigamente C. junos Siebold ex. Tanaka) é uma fruta cítrica originária do Leste asiático. Acredita-se que seja um fruto híbrido da tangerina com o Citrus ichangensis. Ele se parece um pouco com uma pequena toronja com casca irregular, e pode ser amarelo ou verde dependendo do grau de maturação. As frutas Yuzu, que são muito aromáticas, normalmente medem entre 5,5 e 7,5 centímetros de diâmetro, mas podem ser tão grandes quanto as toronjas (10 centímetros ou mais).</p> <p>O yuzu se forma em um arbusto em uma pequena árvore, que normalmente contém um grande número de galhos. As folhas possuem um grande pecíolo, lembrando aqueles da combava e Citrus ichangensis, além de serem muito perfumadas. Yuzu se parece muito com o sudachi em muitos aspectos; eles compartilham o mesmo ancestral, apesar de o sudachi acabar amadurecendo e ficando com uma cor alaranjada. Há diferenças sutis no sabor da fruta.</p> <p>O Yuzu se originou na China, e crescendo nas regiões centrais do país e no Tibet. Foi introduzido no Japão e na Coreia durante a Dinastia Tang e é nesses países onde o cultivo é mais intenso.[1] Apesar de contraditório, no chinês moderno, a palavra 柚子 (yòuzi) refere-se ao pomelo, enquanto que o yuzu é conhecido como 香橙 (xiāngchéng).</p> <p>É incomum as plantas cítricas serem resistentes ao frio, entretanto, devido à descendência do Yuzu em relação ao C. ichangensis, ele consegue crescer em regiões com invernos com temperaturas que chegam a -12°C, onde os cítricos mais sensíveis não conseguiram sobreviver. No Japão, uma versão ornamental do yuzu chamado hana yuzu (花ゆず, 花柚子?) é cultivado por sua flor, e não pelo seu fruto. Uma variação doce do yuzu conhecido como yuku ficou gravemente ameaçada durante as décadas de 1970 e 1980; uma tentativa foi realizada para reviver essa variedade no sul do Japão.</p> <p>Outra variedade de yuzu com uma casca nodosa é chamada de shishi yuzu (獅子柚子? literalmente yuzu leão).</p> <p><strong>Uso na cozinha japonesa</strong></p> <p>O sabor do yuzu é ácido, lembrando o da uva, com um toque de tangerina. Raramente ele é comido como uma fruta normal, embora na culinária japonesa sua casca aromática seja usada para decorar alguns pratos, e seu suco seja normalmente usado como tempero, do mesmo modo que se usa o limão em outras cozinhas. É um ingrediente (junto com o sudachi, daidai e outras frutas semelhantes) do ponzu (um molho a base de cítricos) e do vinagre de yuzu. O yuzu também pode ser misturado com mel para se fazer o yuzu hachimitsu (柚子蜂蜜?), um tipo de xarope que é usado para se fazer o chá de yuzu (柚子茶, yuzu-cha?) e um ingrediente de bebidas alcoólicas.[3] Também é utilizado para se fazer licores e vinhos.[4][5] O yuzu também pode ser usado para fazer vários tipos de doces, incluindo marmelada e bolo. Yuzu kosho (literalmente "yuzu e pimenta"), é um molho apimentado japonês feito com raspas de yuzu, pimenta verde ou vermelha e sal. Lascas de yuzu também são usadas para enfeitar um prato salgado chamado chawanmushi, bem como missoshiru.[6] Ele é frequentemente usado com o sudachi e o kabosu.</p> <p><strong>Uso na cozinha coreana</strong></p> <p>Na culinária coreana, o yuzu (chamado de yuja em coreano) é usado, em fatias finas e misturado com açúcar e mel, para fazer um xarope parecido com marmelada contendo pedaços de casca picados e a própria fruta. Uma colher desse xarope (que pode ser feito em casa ou comprado em potes de vidro) misturado com um copo de água quente é o suficiente para se preparar uma bebida chamada yujacha (유자차; também escrito yujacha ou yuja-cha, sendo que cha significa "chá" em coreano), que também é usado como um remédio natural para a gripe comum e outras doenças semelhantes.</p> <p>Ele também é usado para se preparar o yuja hwachae, uma variação do tradicional ponche de frutas.</p> <p><strong>Uso na culinária ocidental</strong></p> <p>No começo do século XXI, o yuzu foi gradativamente sendo usado pelos chefes de cozinha nos Estados Unidos e em outros países ocidentais, recebendo atenção em um artigo de 2003 no The New York Times.[7] A Hartwall, uma fabricante finlandesa de refrigerantes, lançou uma edição limitada de soda que contém yuzu. O yuzu também foi utilizado em cervejas na Holanda, sendo chamada de iKi, e em uma cidra finlandesa chamada Gonden Cap Black, produzida na Finlândia.</p> <p><strong>Outros usos</strong></p> <p>O yuzu também é conhecido por sua forte aroma, sendo que o óleo de sua casca é vendido como fragrância. No Japão, tomar banho com yuzu no solstício de inverno é um costume popular. Os frutos inteiros são deixados flutuando na água quente do banho (às vezes dentro de uma bolsa) liberando seu aroma. A fruta também pode ser cortada pela metade, permitindo que seu suco cítrico se misture com a água do banho. Acredita-se que o yuzuyu, ou banho de yuzu, protege contra gripes, aquece o corpo e relaxa a mente. O corpo do taepyeongso, um oboé tradicional coreano, muitas vezes é produzido com a madeira do yuzu.</p><script src="//cdn.public.n1ed.com/G3OMDFLT/widgets.js"></script>
V 118 Y 2-S
Sementes de Yuzu -20 ° C (Citrus junos) 4.15 - 1
Sementes De Exótica Raros Preto Morango

Sementes de Preto Morango

Preço 2,25 € (SKU: V 1)
,
5/ 5
<h2><strong>Sementes de Preto Morango Exótica Raros</strong></h2> <h2><span style="color:#ff0000;"><strong>Preço para o pacote de 10 sementes.</strong></span></h2> <p>Um adorável morango preto que é totalmente resistente. Perfeito para pequenos espaços ou recipientes, produzirá uma abundância de pequenas frutas doces, com um toque de abacaxi. Cultivo pesado e fácil de cultivar. Erva perene densamente agrupada com ramos mais retos.<br />15-25 cm de altura. Cymose anthotaxy com carne suculenta. Exigem a perda e remoção de ervas daninhas em intervalos no solo fértil e solto com grandes fertilizantes orgânicos. Favorecer a aquecer e precisar de umidade para viver durante o inverno.</p> <div> <div> <table cellspacing="0" cellpadding="0" border="1"><tbody><tr><td colspan="2" width="100%" valign="top"> <h3 align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Instruções  para a semeadura e germinação</strong></span></h3> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Propagation:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">Seeds</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Pretreat:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">0</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Stratification:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">0</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Sowing Time:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">all year round</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Sowing Depth:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">Needs Light to germinate! Just sprinkle on the surface of the substrate + gently press</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Sowing Mix:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">Coir or sowing mix + sand or perlite</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Germination temperature:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">20-25°C</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Location:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">bright + keep constantly moist not wet</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Germination Time:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">1 - 8 weeks</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> <p align="center"><span style="color:#008000;"><strong>Watering:</strong></span></p> </td> <td valign="top"> <p align="center"><span style="color:#008000;">Water regularly during the growing season</span></p> </td> </tr><tr><td valign="top" nowrap="nowrap"> </td> <td valign="top"> <p align="center"><br /><span style="color:#008000;"><em>Copyright © 2012 Seeds Gallery - Saatgut Galerie - Galerija semena. </em><em>All Rights Reserved.</em></span></p> </td> </tr></tbody></table></div> </div>
V 1
Sementes De Exótica Raros Preto Morango

Produto mais vendido

Variedade da Espanha
Sementes de tomate Mar Azul 1.75 - 1

Sementes de tomate Mar Azul

Preço 1,65 € (SKU: VT 1 MA)
,
5/ 5
<h2 class=""><strong>Sementes de tomate Mar Azul</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;"><strong>Preço para o pacote de 10 ou 20 sementes.</strong></span></h2> <p class=""><strong>Este ano, como todos os anos, estamos semeando novos tomateiros Mar Azul. As fotos são deste ano de 2021 e não as alteraremos todos os anos.</strong><br><br><strong>É muito interessante que a variedade de tomate Mar Azul seja extremamente forte e de crescimento rápido. Até agora, não vimos uma variedade de tomate que cresça mais rápido do que a variedade Mar Azul. A raiz desenvolve-se com extrema rapidez e é interessante que as plantas recebam rebentos laterais já em recipientes.&nbsp;</strong><br><br>O tomate Mar Azul é uma nova variedade de tomate obtida por técnicas totalmente naturais. A cor azulada do tomate é devida a uma alta concentração de antocianinas, pigmentos naturais das plantas que oferecem benefícios significativos à saúde.</p> <p>Também devemos destacar o delicioso sabor, aroma e sensações evocados pelo tomate na boca.</p> <p>Cor violeta-azulada com um interior vermelho intenso e brilhante quando perfeitamente maduro.</p> <p>Este é um tomate com nervuras nos ombros, com uma textura levemente crocante e suave e baixa acidez.</p> <p><strong>Saúde</strong></p> <p>O tomate Mar Azul tem sido objeto de rigorosos estudos nutricionais para determinar suas propriedades funcionais e benéficas à saúde. O Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidade de Granada apresentou os resultados da análise físico-química, certificando o teor de vitamina C e B6 do tomate.</p> <p><strong>Excelente para todos os tipos de uso!</strong></p> <script src="//cdn.public.n1ed.com/G3OMDFLT/widgets.js"></script>
VT 1 MA (10 S)
Sementes de tomate Mar Azul 1.75 - 1
Sementes De Morango Trepador ‘Mount Everest’

Sementes De Morango...

Preço 2,50 € (SKU: V 1 CS)
,
5/ 5
<h2><span style="text-decoration: underline;" class=""><em><strong>Sementes De Morango Trepador ‘Mount Everest’</strong></em></span></h2> <h3><span style="color: #ff0000;"><strong>Preço para o pacote de<strong>&nbsp;10&nbsp;</strong>sementes.</strong></span></h3> <p>Espécie de morango trepador "Mont Everest" deve ser plantado encostado a uma rede,a estaca ou treliça e terá de atá-lo à medida que cresce (1.5m),como se faz com os tomates.Plante agora para ir desenvolvendo o sistema radicular e começar a produzir na Primavera.Tenho vários exemplares</p><script src="//cdn.public.n1ed.com/G3OMDFLT/widgets.js"></script>
V 1 CS
Sementes De Morango Trepador ‘Mount Everest’
Dentes de alho alemães extra resistentes 2.95 - 3

Dentes de alho alemães...

Preço 2,95 € (SKU: P 416 GEH)
,
5/ 5
<!DOCTYPE html> <html> <head> <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" /> </head> <body> <h2><strong>Dentes de alho alemães extra resistentes</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;"><strong>Preço para 10 dentes de alho.</strong></span></h2> <p>Alemão Extra Hardy, também é conhecido como Alemão Branco, Northern White e Alemão Stiffneck é um alho de porcelana grande, bonito e bem formado. Estes são todos o mesmo alho, mas cultivados em lugares diferentes sob diferentes nomes. Seu sabor é muito forte e robusto e permanece por muito tempo.</p> <p>O peso médio de dentes de alho 5-6 g.</p> <p>Do ponto de vista do agricultor, é uma planta alta verde escuro e é um sobrevivente muito bom, geralmente cresce saudável e parece ser um pouco resistente a muitas das doenças que podem afetar o alho. Originou-se originalmente da Alemanha, mas cresce bem em todos os países.</p> <p>Por ser uma porcelana, o alemão Extra Hardy armazena um longo período de tempo na temperatura ambiente por cerca de 9 a 10 meses ou mais.</p> </body> </html>
P 416 GEH
Dentes de alho alemães extra resistentes 2.95 - 3

Esta planta tem frutos gigantes
Sementes de Amora-silvestre Gigante Triple Crown 1.85 - 3

Sementes de Amora-silvestre...

Preço 1,85 € (SKU: V 126)
,
5/ 5
<!DOCTYPE html> <html> <head> <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8" /> </head> <body> <h2><strong>Sementes de Amora-silvestre Gigante Triple Crown</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;"><strong>Preço para o pacote de 10 ou 20sementes.</strong></span></h2> <p><strong>Esta variedade produz frutos extremamente grandes, pesando 10 gramas por fruta.</strong> A Amora Silvestre é uma planta robusta e versátil. Ela produz um alto rendimento de frutos brilhantes, com um toque doce de açúcar e ácidez.</p> <p>Amoras são uma escolha perfeita para comer frescas ou em misturas ou tortas.</p> <p><strong>WIKIPEDIA:</strong></p> <p>As amoras-silvestres são o fruto (pseudobaga) de arbustos (amoreira-silvestre) do género Rubus, vulgarmente designados como silvas, da família das rosáceas. As plantas crescem até 3 metros. Os frutos são usados para a composição de sobremesas, compotas, e por vezes vinho. São muitos os tipos do que é vulgarmente designado como "amora" – incluindo muitas cultivares híbridas, com mais de duas espécies ancestrais. Por vezes, aqui são usados os termos em inglês, com a terminação "berry", já que em português existe uma certa confusão na atribuição de nome a estas espécies.</p> <p>A cultivar Marionberry nasceu do cruzamento entre a amora tipo Olallieberry e o tipo Chehalem, de modo a conjugar as qualidades organolépticas dos dois tipos de fruta. A Olallieberry, por sua vez, resulta do cruzamento das amoras-framboesas com youngberry (que, por sua vez, resulta do cruzamento de amoras-pretas com amoras-silvestres).</p> <p>A amoreira-silvestre é composta por longos caules curvos, com espinhos curtos, levemente encurvados. Quando os caules tocam no chão ganham frequentemente raízes laterais, dando origem a um novo pé de silva (reprodução assexuada), tornando-se uma espécie invasora persistente, colonizando vastas áreas por longos períodos. Tolera facilmente solos pobres, sendo uma das primeiras plantas a colonizar baldios e terrenos de construção abandonados. As suas folhas são palmadas, em trifólio (o limbo está dividido em três, ainda que se encontrem também divididas em cinco). As flores brancas ou rosadas, florescem de Maio a Agosto (no hemisfério norte), dando, após a frutificação, as amoras de uma cor vermelha e, depois, negra.</p> <p>A amora silvestre é designada como pseudobaga já que é, de facto, um fruto agregado, constituído pela reunião de diversas drupas.</p> </body> </html>
V 126
Sementes de Amora-silvestre Gigante Triple Crown 1.85 - 3

Esta planta tem frutos gigantes
Sementes de Girassol Mammoth Russo 1.85 - 1

Sementes de Girassol...

Preço 1,85 € (SKU: VE 68)
,
5/ 5
<h2><strong>Sementes de Girassol Mammoth Russo</strong></h2> <h2><span style="color: #ff0000;" class=""><strong>Preço para o pacote de 1g (10), 9g (100) sementes.</strong></span></h2> <p>Esta popular variedade russa gigante russa Mammoth (Helianthus annuus) é facilmente criada e não requer cuidados especiais. A árvore pode atingir uma altura de 4 metros com flores gigantes (em um diâmetro de até 60cm) que dão sementes de girassol imensas.</p>
VE 68 (1g)
Sementes de Girassol Mammoth Russo 1.85 - 1

Cookies are Necessary and help make a website usable by enabling basic functions like page navigation and access to secure areas of the website. The website cannot function properly without these cookies.

Cookies necessários
Os cookies necessários ajudam a tornar um website útil, permitindo funções básicas, como a navegação e o acesso à página para proteger áreas do website. O website pode não funcionar corretamente sem estes cookies.
Nome do cookie Fornecedor Objetivo Termo
seeds-gallery.shop www.seeds-gallery.shop Este cookie ajuda a manter as sessões do usuário abertas enquanto eles estão visitando um site, e os ajuda a fazer pedidos e muitas outras operações, como: data de adição do cookie, idioma selecionado, moeda usada, última categoria de produto visitada, produtos vistos pela última vez, identificação do cliente, nome, nome, senha criptografada, e-mail vinculado à conta, identificação do carrinho de compras. 480 horas
Cookies de estatística
Os cookies de estatística ajudam os proprietários de websites a entenderem como os visitantes interagem com os websites, recolhendo e divulgando informações de forma anónima.
Nome do cookie Fornecedor Objetivo Termo
collect Google Ele é usado para enviar dados ao Google Analytics sobre o dispositivo do visitante e seu comportamento. Rastreie o visitante em dispositivos e canais de marketing. Sessão
r/collect Google Ele é usado para enviar dados ao Google Analytics sobre o dispositivo do visitante e seu comportamento. Rastreie o visitante em dispositivos e canais de marketing. Sessão
_ga Google Registra um ID exclusivo que é usado para gerar dados estatísticos sobre como o visitante usa o site. 2 anos
_gat Google Usado pelo Google Analytics para controlar a taxa de solicitação 1 dia
_gd# Google Este é um cookie de sessão do Google Analytics usado para gerar dados estatísticos sobre como você usa o site, que são removidos quando você fecha o navegador. Sessão
_gid Google Registra um ID exclusivo que é usado para gerar dados estatísticos sobre como o visitante usa o site. 1 dia
Conteúdo não disponível